sábado, 10 de setembro de 2011

Confissão...

Que esta minha paz e este meu amado silêncio
Não iludam a ninguém
Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta
Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios
Acho-me relativamente feliz
Porque nada de exterior me acontece...
Mas, em mim, na minha alma,
Pressinto que vou ter um terremoto!

Mário Quintana

9 comentários:

  1. Como conheço bem essa paz. Belo texto e uma excelente escolha.

    Beijinhos doces, Ava.

    ResponderExcluir
  2. Nunca se sabe o que germina dentro de nós...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  3. Não duvido de nada nesse mundo. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  4. esse terremoto não terá tanto impacto caso estejamos devidamente guarnecidos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Perfeito, lindo!!!!! Essa musicalidade encontrada nas poesias de Quintana me parece muitas vezes a música que estou dançando!É... estou com medo desse terremoto!!

    Um beijo carinhoso e como sempre, seu blog é um suave encanto!!:)

    ResponderExcluir
  6. Oie, passando para dizer que tem selinho pra vc do meu cantinho... passa lá, bjssss

    ResponderExcluir
  7. ja passei pelo terremos, agora estou morrendo de medo é do tsunami q tá por vir....

    bjkssss bom fim de semana

    ResponderExcluir
  8. Oi Zélia... vim retribuir a visita e colher o meu dia!
    Lindo cantinho!
    Bjs bjs bjs

    ResponderExcluir